segunda-feira, 19 de março de 2012

Pé no Chão

"Pé no chão"; aquarela, 1991 [coleção particular]



no chão
o pé
se firma
sente o solo
como irmão
se faz raiz
sorve a seiva
o pé
firme
no chão
a seiva sobe
circula
flui
enquanto o pé
ele só sente
pulsar o chão
o pé não pensa
não tem cabeça não
mas
pé no chão
só ele sabe
se dá pé
ou não



Raul Motta

8 comentários:

BETE LANDMANN - Designer Têxtil disse...

QUE BELEZURA ESTA AQUARELA! Apaixonante

Raul Motta disse...

Beteamiga,

viver é ter
etéreo
pé no chão...

Belezura tua presença por aqui!

Clarice Villac disse...

A aquarela sugere tanto,
e o poema matiza ainda mais !
Parabéns duplo !

Raul Motta disse...

Clariceamiga,

grato pela presença!

Teu olhar de poeta é sempre bem vindo!

Abraços, bons caminhos...

Luiza Maciel Nogueira disse...

linda sua arte e poesia! muito prazer. adorei seu traço, especialmente as xilogravuras

beijos

Raul Motta disse...

Luiza,

seja bem vinda!

Grato pela presença e comentário, abraços e bons caminhos pra ti...

Ana Ribeiro disse...

Bravo! Poesia e aquarela...Adorei tudo, Raul! Que bom que nos encontramos! Abraços!

Raul Motta disse...

Grato, Ana!
Agora, mais um canal para troca e diálogo...
Abraços, bons caminhos!